29.12.16

Inflação

Por algum motivo, algumas listas de melhores do ano passaram a ter quinze itens - a exemplo dessa, de melhores quadrinhos do ano. Essa outra, do Guardian, se manteve nos tradicionais dez itens.

Do que li em 2016 - mas não necessariamente publicado este ano - alguns destaques foram Vision, Injection, Giant Days, Starve, Superman: Secret Identity, Wonder Woman: The True Amazon, Here, Bulldogma e Copra.

Jornalismo exemplar

As dezesseis matérias mais lidas dos arquivos da New Yorker em 2016.

24.12.16

17.12.16

Departamento de Aquisições



(Um dos poucos dessa lista que encontrei)

Do outro lado

Patti Smith escreveu sobre sua apresentação no Nobel.

Ética e racionalidade

Modern moral philosophers have shied away from two essential aspects of this ancient and medieval conception of the good life: (1) its basis in a normative account of human nature; and (2) its understanding of that nature as essentially constituted by the political community and therefore oriented towards the common, rather than private, good. This is no accident. Once we lose the idea that we are naturally ordered toward political life together we also lose a clear justification for a robust conception of the common good in our understanding of the good life and the proper political order.

16.12.16

Comidinhas

A moda japonesa de fazer comidas de verdade em versões minúsculas, de preferência usando ingredientes e instrumentos igualment reduzidos.

14.12.16

Departamento de Aquisições

O Natal já começou!



As palavras têm significados! Mais ou menos

A imprecisão da linguagem traz consequências para diversos campos do pensamento humano, mas cria excelentes oportunidades de discussões sem fim.

Ler ficção pode nos aperfeiçoar moralmente?

The genre I think about most, the realist novel, developed special methods to allow the reader to experience what it is like to be someone else. When one reads a great novel, one enters directly into the experience of other individuals. In his Theory of Moral Sentiments, Adam Smith, who regarded sympathy for others as a universal human trait and essential to morality, pointed out that we are barred from ever experiencing the thought and feelings of another person. We can only infer them. Some fifty years later, Jane Austen invented a technique for allowing us to enter into the process of another person’s thoughts, and in so doing she in effect invented the realist psychological novel.

13.12.16

Culpa do YouTube

Por que não existe um romance que represente a geração Millenial? Porque a cultura é fragmentada, porque é uma geração ainda jovem para refletir sobre suas experiência de forma consequente, porque escreveram no Snapchat e apagaram.

E mesmo assim Garfield e Hagar continuam

Uma história das tiras de quadrinhos, com foco nas inovações e possibilidades das tiras na Web.

Departamento de Aquisições

10.12.16

Virais

A GQ selecionou os dez vídeos virais do ano (em inglês). O meu preferido da seleção é uma dupla de pai e filho abrindo o chocalho de uma cascavel para ver o que tem dentro.

8.12.16

Sua opinião não vale nada

If ‘everyone’s entitled to their opinion’ just means no one has the right to stop people thinking and saying whatever they want, then the statement is true but fairly trivial,” Stokes writes. “But if ‘entitled to an opinion’ means ‘entitled to have your views treated as serious candidates for the truth’ then it’s pretty clearly false.

É de mentirinha

É possível celebrar datas religiosas sem acreditar nelas de verdade, mas por uma questão de gosto? O ficcionalismo religioso diz que sim.

3.12.16

Metalista

Jason Kottke consolida as listas de melhores livros de 2016.

Abuso sexual não é exclusividade masculina

Uma série de novas pesquisas indica que o abuso sexual por mulheres é muito mais comum do que sugerem os esteriótipos de gênero. Inclusive estupro.

2.12.16

HQ Verde e Amarela

Uma das coisas que mais aprecio no quadrinho independente nacional é a cor. Dos lançamentos dos últimos anos, ela nunca decepcionou. Comprei uma de super-heróis em molde americano (terrível, não sei por que comprei) e as cores estava excelentes. Comprei pseudomangá europeu (pode isso?) e gostei muito, mas as cores estavam impecáveis. Funcionalismo público sobrenatural:, abriu mão da policromia para usar uma única cor além do preto e funcionou muito bem. Comprei um gibi que me lembrou muito Repeteco e nossa! E muitos outros. Estão de parabéns.

Isso me veio à mente vendo os gibis de uma nova editora americana, a Black Mask. Até agora nada que se destacasse pelo roteiro ou arte, mas as cores... As cores são uma merda. Dão a clara impressão de um gibi de segunda categoria. Algo claramente feito sem muita reflexão ou cuidado.

Falamos muito no roteiro e nos temas, mas acho que o maior salto dos quadrinhos nos últimos trinta anos foram as cores e a impressão. Para mim, é praticamente impossível ler uma hq de linha antiga em scans ou na publicação original da época. As linhas indefinidas, as retículas enormes e vazando me agridem.

Claro, existem exceções que contornaram as limitações tecnológicas ou as abraçaram. Acho o trabalho feito em Watchmen, com aquelas cores secundárias nojentas, excepcional. E amo as cores dementes da primeira colorização de A Piada Mortal (a segunda versão, muito realista, não me agrada tanto). Sem falar em American Flagg.

Então, quadrinistas, pense bem se não vale mais a pena ficar no preto e branco ou nos tons de cinza em vez de cores porcaria!

30.11.16

Departamento de Aquisições





O Melhor do Quadrinho Brasileiro em 2016

O XXX Quadrinho Brasileiro de 20XX tinha a proposta de ser uma coletânea anual com trechos do melhor da hq brasileira de cada ano, selecionados por editores convidados (algo parecido com The Best American Comics). A editora naufragou e a série não foi adiante - mesmo ganhando um HQ Mix. O editor convidado da primeira edição, Érico Assis, tomou novamente a tarefa em suas mãos em forma de post de blog.

Confio bastante na seleção do Érico e sei que ele não gosta de cultivar o que é obscuro. Então me pergunto por que vi tão pouco desse material por aí? Edições tão pequenas que não chegam às lojas? Falta de interesse das livrarias? Ou uma cena independente vital, mas que dribla o leitor que não for extremamente dedicado? Fica a pergunta.

Em português se pronuncia "gibi"

Estaria na hora de aposentar o termo graphic novel? Acompanha uma obrigatória revisão da origem.

29.11.16

A ficção molda o mundo

Trinta e um termos fundamentais da ficção centífica e sua origem. De bônus, termos que parecem ter vindo da comunidade científica, mas também apareceram na ficção.

Amaldiçoado seja

Na falta de tarjas magnéticas que disparam um alarme, proteja sua biblioteca com maldições. É fácil, tradicional e barato.

28.11.16

America

Miss America, mais uma heroína muito minoritária da Marvel, com uma roteirista também minoritária. E o melhor, não é versão de um personagem clássico.

Depois do PETA, o PETOR

Direitos animais já sao bastante complicados. E agora tem gente discutindo direitos de robôs ainda hipotéticos. Em minha opinião, precisamos manter duas coisas em mente: 1. Direitos não dependem de consciência nem implicam em personhood.2. Qualquer direito que estabeleçamos devem ser em função das criaturas protegidas por eles, não dos nossos sentimentos - ou seja, decisões racionais e universalizáveis, não baseadas em "empatia".

26.11.16

O Peso da Consciência

Uma conversa com o psicólogo e filósofo Riccardo Manzotti, em busca de uma definição de consciência. Num tópico muito próximo, uma entrevista sobre o nosso constante monólogo interno.

Departamento de Aquisições: Festa do Livro da USP

Muito antes da moda da Black Friday aportar no Brasil, fim de novembro ou início de dezembro é tempo de bagaceira nas finanças aqui em casa. É que acontece a Festa do Livro da USP, com mais de cem editoras vendendo com descontos de no mínimo 50%. Se eu tenho problemas para me conter durante o ano, nesses dias não tem conversa. É o momento em que eu compro títulos sobre os quais eu tinha alguma curiosidade, os que adio durante o ano esperando a feira, volumes caros, faço compras por impulso e tento resolver os presentes de natal. Ano passado eu comprei tanta coisa que faltou força na perna para entrar no ônibus na hora de ir embora. Este ano foram quinze livros, mais presentes de natal e encomendas. Em vez das costumeiras fotinhos, vai só uma lista.

Persépolis
Mulherhomem
Hitomi
Violent Cases
O Castelo Adormecido
Inquérito Policial - Família Tobias
Pornopéia
O Mito de Sísifo
A Queda
O Sumiço
Dias de Abandono
Trinta e Poucos
O Que o Dinheiro Não Compra
Contra a Perfeição
A Ética da Autenticidade
Ética Urgente
Orientalismo
Como a Mente Funciona
24/7 - Capitalismo Tardio e o Fim do Sono

23.11.16

Capsulas do tempo digitais

Antes da Internet, existiam os BBSs. Alguns poucos continuam em atividade, preservando uma experiência on-line bem diferente.

Cem mil palavras

A Time selecionou as cem fotos mais influentes do mundo. Política, esportes, moda - enfim, história - congelados em momentos.

Erro no sistema

Processos automáticos têm cada vez mais peso em nossas vidas. Por isso é preciso pensar em formas de prestação de contas para algoritmos.

InterNyet

Pouco depois que os americanos criaram a Arpanet, os soviéticos tentaram criar uma rede de computadores com usos civis para agilizar o comunismo. Não deu em nada, mas a história é boa.

19.11.16

Para todas as polianas do mundo

Há um lado bom em ficar doente? Que tal a possibilidade de aperfeiçoamento moral? Esse texto explora essa ideia e como ela pode ser opressiva para quem está doente.

16.11.16

Departamento de Aquisições: I Feira Des.Gráfica

Feiras de publicações independentes são algo que me deixam muito ambivalente: se, por um lado, tem muita coisa interessante, por outro tudo é meio caro, acabo gastando demais e saio com a impressão de que não comprei praticamente nada. Ontem eu fui à Des.Gráfica, no MIS paulistano. Quase não fui porque estou tentando economizar para gastar tudo na Festa do Livro da USP, mas acabei não resistindo.Muito expositores de várias partes do país, muita coisa boa e muita tranqueira - tipo livrinhos com fotologs mal impressos. É sempre uma agonia folhear as publicações e decidir comprar ou não sobre os olhos do autor, mas ainda assim deu para trazer algumas coisas para casa.

Mais do que o conteúdo, o que me chama atenção nessas feiras é a variedade de formatos das publicações. Um que gosto bastante são aqueles quadrinhos pequenos, do tamanho dos gibizinhos da Mônica que foram publicados há uns anos (décadas?). Comprei os dois últimos lançamentos da coleção Ugrito, da Ugrapress, assinados por Chiquinha e Pedro D'Apremont.

Depois de alguma dúvida, escolhi Velhos Hotéis Passam Cinema Mundo (Guazeli), um volume da Coleção Mil, do selo Cachalote. Essa coleção tem como diferencial publicação de quuadrinhos sem palavras, com impressão e preto sobre papel colorido, em edições limitadas a mil cópias. Do mesmo stand, arrastei para casa o terceiro volume de O Beijo Adolescente, de Rafael Coutinho.

Também comprei alguns exemplares de Penúltimas Espécies. Cada número traz um único conto curto e Felipe Rodrigues, com capa ilustrada em cores e papel pesado. Não tem como negar que é muito caro pela quantidade de texto, as a solução encontrada para o problema de publicar uma única história sem ficar com cara de panfleto atraiu minha simpatia. Também comprei uma coletânea minúscula dele, Microcontos Fantásticos.

Encontrei algo que estava querendo e enrolando para encomendar, o livro Valfrido?, experimento de literatura em folhetos de Gustavo Piqueira com a Lote 42. O livro é algo como um registro do experimento original, coleção dos textos publicados e fac-símile dos panfletos.

Em formatos mais tradicionais, comprei o zine de quadrinhos Lo-Fi e a história em quadrinhos Chance (Polvo Rosa Books) desenhada por Samanta Flôor e escrita por Diogo Cesar. O amigo e desenhista Bruno Marcello me deu uma cópia do seu caderno Era de Noite e Não Podi Olhar Seu Desenho.

11.11.16

FC à chinesa

Com o sucesso de O Problema dos Três Corpos, de Cixin Liu, a ficção científica chinesa tem despertado curiosidade no ocidente. Saiba mais sobre a história do gênero no país.

8.11.16

Antiguidades vivas

O fascínio com relógios de pulso mecânicos são um exemplo de quando a função principal é praticamente esquecida em favor de outros valores.

5.11.16

4.11.16

Vítima da moda

Julia Wertz conta o que acontece quando sua melhor amiga fica grávida - em quadrinhos.

Eu prefiro a Rodolfocracia absolutista

Com o sucesso absoluto das democracias em 2016, tem gente se perguntando se não está na hora de rever todo o sistema. As respostas são questionáveis.

1.11.16

Mudança de fase

Espalhada entre uma infância exposta ao mundo adulto e uma maturidade cada vez mais tardia, a adolescência perdeu seu significado.

Objetos de decoração

Desde sempre livros são um símbolo de status - mesmo para aqueles que detestam ler, incomodando quem lê.

25.10.16

Caso para a pena de morte

Histórias de um dos maiores inimigos da humanidade, o carro do ovo, em uma quase crônica do A Tarde.

12.10.16

Armengue oriental

Chabuduo: a centenária arte chinesa de fazer mal-feito.

9.10.16

Coca-Cola é isso aí

Você não deve se lembrar da sua primeira Coca-Cola, já que provavelmente foi bem cedo na infância. Já esse texto torna pública a experiência de beber a primeira Coca aos 24 anos.

7.10.16

Literatura portátil

Em 2003, eu comprei um Palm Zire com o propósito de ler alguns livros que achei na rede. Não era exatamente confortável, mas importar livros para Salvador não era exatamente fácil. Descobi que podia mandar o texto de sites para ele sem muito trabalho e viciei na leitura em telinhas - o que me era muito útil no tempo dos computadores divididos.

De lá para cá fiz alguns upgrades - dois Palms melhores, um Pocket PC - e hoje uso um iPad e um iPhone, com diversos programas de leitura (Pocket, PDF Reader, iBooks, Kindle e Chunky). Por isso sempre me questionei sobre os resultados de estudos sobre a leitura em tela e em papel. Acho os resultados exagerados ao apontarem as diferenças. Sempre me pareceu mais um caso dos hábitos e disposições dos leitores do que algo inerente aos dispositivos. (Claro, acho papel melhor em muitos aspectos, ou não compraria livros ainda.)

A experiência do jornalista Clive Thompson ao ler Guerra e Paz no celular ilumina alguns pontos.

Departamento de Aquisições

Falando em Flânerie

Five Fathoms, Everything But The Girl.

Os maiores enrolões

I once asked a talented and fairly famous colleague how he managed to regularly produce such highly regarded 8,000 word features. “Well,” he said, “first, I put it off for two or three weeks. Then I sit down to write. That’s when I get up and go clean the garage. After that, I go upstairs, and then I come back downstairs and complain to my wife for a couple of hours. Finally, but only after a couple more days have passed and I’m really freaking out about missing my deadline, I ultimately sit down and write.”

30.9.16

O voto é o problema da democracia?

A democracia representativa não está num momento muito bom. Parte do problema pode ser a maneira de conduzir as eleições por aí. Um texto longo, mas muito necessário neste momento.

Ó as ideias

Ao contrário do que o relato sobre privação de sono indica, fiquei louco para tentar uma semaninha sem dormir.

29.9.16

Boca de urna

A Slate está publicando Off Season, nova história em quadrinhos de James Sturm. Animais antropomórficos sofrendo com a eleição presidencial americana.

Pior seria na Nova Zelândia

Um australiano foi mordido no pênis por um aranha ao usar o banheiro. Pela segunda vez.

Leve-me a seu líder.

Elon Musk tem um plano doido de instalar uma colônia de um milhão de pessoas em Marte. Nos próximos cinquenta anos.

26.9.16

Ig Nobel 2016

Entre os vencedores, a Volkswagen e sua solução para a oluição causada pelos carros.

23.9.16

Por que comemos tanto na rua?

Nós, WEIRDs, comemos fora de casa o tempo todo. A hipótese desse texto (americano) é que é algo que aprende-se nos anos de faculdade. Mas é um hábito que observo por aqui, onde a experiência universitária é diferente.

20.9.16

Será que estão lendo tudo?

Depois de uns vinte anos, o volume de quadrinhos vendidos atingiu níveis semelhantes aos da década de 90 - quando era artificialmnte inflável pela venda de capas "especiais" alternativas.

18.9.16

Dicas de economia

Dezzessete webcomics completos para você afundar dezessete finais de semana.

16.9.16

O preço de um banho

Quanto custa um banho em diversos países do mundo (para quem tem água encanada).

14.9.16

Não deixe para depois

Em vez de esperar algum momento futuro como a aposentadoria ou uma mudança para me desfazer de um monte de livros de vez, eu vou fazendo isso aos poucos. Portanto, mais uma listinha de livros e quadrinhos à venda. Agora ela é permanente, sendo atualizada conforme volumes forem entrando e saindo.

O papel do romance

The anxiety over literature felt by writers, publishers, and readers is exacerbated by the fact that rival media are increasingly co-opting literary techniques once thought to belong solely to the novel. A slow edging out can be discerned, then projected all the way to replacement. Television is at the forefront of this movement. It’s been so successful that a 2014 New York Times essay asked, “Are the New ‘Golden Age’ TV Shows the New Novels?” I’ve heard the refrain personally, often from people who a generation ago would have been dedicated readers. Just recently a friend of mine, leaning against my bookshelf, asked, “Why should I read novels? I can satisfy any yearnings I have for fiction with TV. It’s just so damn good now.”

Notívagos

Na sua série de estudos de caso, o canal Nerdwriter analisa Nighthawks, um dos meus quadros preferidos.

7.9.16

As coisas importantes mudam devagar

Snapchat, Instagram e um monte de formas dos adolescentes se comunicarem e paquerarem, mas uma constante é eterna: os meninos têm que fazer o primeiro movimento.

Apertamentos

A redução dos apartamentos, dos anos 70 até hoje. As plantas são meio mal feitas - a dos anos 80 nem sofá na sala tem.

Nespressolé Evoluo Delux

O fim de um namoro no Brooklyn é triste de um modo muito particular.

2.9.16

Para ficar do lado de Finnegan's Wake

Alan Moore passou a última década escrevendo Jerusalem e as primeiras resenhas começaram a sair. Um livro que vai ser muito vendido pelo nome do autor e muito pouco lido. Ah, e vai sair no Brasil!



Ao infinito e além!

Qual ideia lhe é mais incômoda: a eternidade ou não existir mais? Como não acredito na possibilidade de vivenciar a eternidade, a ideia de morrer me incomoda mais - mas também não tenho tanto medo assim de morrer. Me incomodam mais a dor e a perda de dignidade.



Uólacy

Uma pesquisa na Inglaterra aponta que 18% das mães se arrependem dos nomes que dão aos filhos. Com certeza muitos filhos também.

31.8.16

Guarde junto com o ttulo de eleitor

Como cada senador votou no Impeachment de Dilma Russef.

Puxando a tomada

Com os cortes de orçamento, a ciência brasileira está em situação cada vez mais precária. Mas o problema não é só falta de dinheiro, mas também de visão e projeto de futuro.

Uma nova era

The current epoch, the Holocene, is the 12,000 years of stable climate since the last ice age during which all human civilisation developed. But the striking acceleration since the mid-20th century of carbon dioxide emissions and sea level rise, the global mass extinction of species, and the transformation of land by deforestation and development mark the end of that slice of geological time, the experts argue. The Earth is so profoundly changed that the Holocene must give way to the Anthropocene.

28.8.16

Testadas e aprovadas

Tem coisa que achamos que sabemos fazer, até descobrir um método muito superior e descobrirmos como estávamos enganados. Hoje eu descobri que cozinhar ovos no vapor os deixa muito mais gostosos e fáceis de descascar. Há alguns meses eu aprendi como fazer um ovo mexido realmente bom. Só dois dos muitos usos dessa maravilha.

27.8.16

26.8.16

Suspenso/ sobre o livro/ como um lustre/ num teatro

Há um tempo eu comprei O Livro das Semelhanças, com poemas de Ana Martins Marques. Estou quase terminando e gostando bastante.

Um papiro muito enrolado

Qualquer documento que tenha a ver com ele vai ser polêmico, mas a história de um fragmento que sugere que Jesus Cristo teria sido casado é particularmente enrolada.

Voto e Ética

Suas preferências são importantes na hora de votar, é claro. Mas é mais importante pensar nas consequências dele, dizem os filósofos.

24.8.16

Só vi 52

Os cem melhores filmes do Século XXI até agora. O primeiro é Cidade dos Sonhos.

Santa nostalgia, Batman!

O seriado sessentista do Batman virou animação com os atores originais dublando os personagens. Tomara que quando lançarem no Brasil tenha a versão em português com os dubladores da época. Ia ser melhor que a Feira da Fruta!

17.8.16

Irracionalismo cotidiano

Um texto muito importante, que explica como chegamos ao ponto em que os fatos não importam mais em discussões políticas. Explica Trump, Putin, as fãs de uma nova ditadura no Brasil e os guerreiros da justiça social.

Eu ainda não acredito

“Those people nowadays who say they would have stood up against the Nazis – I believe they are sincere in meaning that, but believe me, most of them wouldn’t have.” After the rise of the Nazi party, “the whole country was as if under a kind of a spell,” she insists.

Departamento de Aquisições

Aqui não é uma biblioteca

Embora eu empreste livros e os pegue emprestados, gostei muito dessas razões para nao fazer isso.

Ouro que vale mais do que dinheiro

In the eyes of the Internal Revenue Service, medal winners are no different from lotto prize recipients or someone who hits a jackpot in Vegas. The prize is considered income, and income gets taxed. But it’s not really the actual medal that has to be reported, it’s the money awarded by the United States Olympic Committee.

In recognition of representing the United States with a victory, the USOC gifts gold medalists with $25,000; $15,000 for silver; and $10,000 for bronze.

Obama: Número um também no Spotify

A playlist de verão criada por Barack Obama é a mais popular no Spotify. E na lista de leituras tem Neal Stephenson.

12.8.16

Carroceiros

Em quase todos os países, a classe política combate os problemas do Sec. XXI com ferramentas e ideias do Sec. XIX. É claro que carros automáticos - se não forem proibidos - só vão ser regulamentados lá por 2150. E aí vai ser muito tarde.

A primeira faz tcham

A Navalha de Occam - que diz que a explicação mais simples é normalmente a melhor - é uma grande ferramenta para o raciocínio. Mas ela não é uma lei e não explica vários momentos da história da ciência.

11.8.16

Nunca termina

Comprei meu iPad logo após o lançamento no Brasil no final de 2010. Um dos primeiros programas que instalei foi o Read It Later. Hoje chamado de Pocket, o app permite enviar páginas da Web para leitura offline - continuando o hábito que tenho desde o Plucker do Palm e do Vade Mecum do Pocket PC. Como é mais rápido clicar e adicionar do que ler, a lista não para de crescer.

Daí eu encontro essa lista de mais de cem matérias que valem a pena.

Um mundo encantado

Fugindo da explicação mais simples, existe gente que acredita em uma Terra plana. Porque conspirações e Satã e gravidade é só uma teoria.

8.8.16

Retrô terrível

As daunting events come thick and fast amid increasing public racism and xenophobia, the similarities with the buildup to the second world war are real, but we can take hope from a few key differences



7.8.16

Os quadrinhos sempre são melhores

A filme não foi um desastre, mas ficou longe dos quadrinhos, como essa história oral do Esquadrão Suicida e esse texto sobre a personagem Amanda Waller sugerem para quem não leu os gibis.

1.8.16

Gudetama, o ovo da depressão

Em Caracas...

O que está acontecendo na Venezuela?

Ter coisas está fora de moda

Despite its connotations of absence, “minimalism” has been popping up everywhere lately, like a bright algae bloom in the murk of postrecession America. From tiny houses to microapartments to monochromatic clothing to interior-decorating trends — picture white walls interrupted only by succulents — less now goes further than ever. It’s easy to feel overwhelmed by the minimalism glut, as the word can be applied to just about anything.

Projeto de fim de semana

Toki Pona é uma linguagem artificial extremamente metafórica que só uma 123s palavras-base. Segundo seus criadores, é possível dominá-la em trinta horas. Uma versão mais extrema do Thing Explainer.



31.7.16

Este não é um post pago

A Biblioteca do Escoteiro Mirim foi um dos elementos mais importantes da minha formação intelectual e uma das melhores lembranças da minha nfância. Agora, depois de décadas, ela está sendo reimpressa no formato de manuais temáticos (como o conteúdo foi publicado originalmente, a Biblioteca era uma reorganização). Se você tem filhos, sobrinhos ou algo assim por volta dos oito anos, compre uns e dê para eles.

30.7.16

It's oh so quiet

A ciência tem se aprofundado no estudo do silêncio - que cada vez mais raro se trna uma mercadoria bem peculiar.

"Curando a Internet desde 2001"

Antes uma palavra pouco usada e com sentido, "curadoria" hoje quer dizer qualquer coisa. Observe.

26.7.16

Nosso futuro ciborgue

Embora acreditem que diversas formas de aprimoramento humano vão se tornar comum nos próximos nos, os americanos dizem que não querem nenhuma. Eu aceito todas que não doerem.

23.7.16

1976 - 2016

No fim do mês, a última fábrica vai encerrar a produção de aparelhos de VHS. Guarde o seu para vender para os hipsters que daqui a alguns anos vão decidir que a imagem era melhor.

20.7.16

Alergias e mau jornalismo

Existem pessoas que afirmam serem alérgicas a ondas eletromagnéticas - embora ninguém nunca tenha comprovado e constantemente elas falham em testes cegos que comprovariam a alergia e tenha gente que reclamou dos males da transmissão de tv digital quando as redes analógicas fora desligadas. Para se protegerem, muitas delas se mudam para regiões onde não há rádios, serviço de celular ou eletricidade.

Recentemente, a repórter Kathleen Hale foi a Snowflake, no Arizona, onde um grupo de umas 30 pessoas vive, fugindo as suas alergias - que também incluem produtos químicos de todos os tipos. O texto é interessante, mas o comportamento de Hale não é dos melhores: ela concordou em não falar com um psiquiatra sobre as questões levantadas por suas fontes, afirmou ter sofrido de problemaas parecidos e - aparentemente - permitiu que elas lessem o texto para receber os resultados de um teste "comprovado cientificamente" que lhe daria um diagóstico.

Ao ler, fiquei dividido entre duas impressões: 1)Hale é tão maluca quanto suas fontes. 2) Ela é uma repórter que faltou as aulas de ética.


Retrospectiva precoce

Que grandes quadrinhos foram lançados no Brasil este ano e quais estão prometidos?

Terrorismo e maluquice

Nesses tempos de radicalização individual e isolada, como decidir quem é terrorista e quem é só maluco? A resposta a essa pergunta tem consequencias muito importantes.

15.7.16

Bom negócio

Giles Slade, in his book “Made to Break,” traces the term “planned obsolescence” to a 1932 pamphlet, circulated in New York, titled “Ending the Depression through Planned Obsolescence.” The term gained currency in 1936, through a similarly themed essay in Printer’s Ink, “Outmoded Durability: If Merchandise Does Not Wear Out Faster, Factories Will Be Idle, People Unemployed.”

Então me dá dois

Por que a pechincha persiste na hora de comprar um carro, quando praticamente sumiu? Hábito.


Permita-me discordar

Não se deve ler um livro de poesia como um romance, um poema atrás do outro, como se houvesse um enredo. Não se trata disso. Leia um por semana. Leve um ano lendo um livro de poesia. Vale a pena.

A escritora, ensaísta e professora Vilma Arêas disse isso em algum momento da FLIP 2016 e encontrei na Internet. Li isso e fiquei pensando em como leio poesia. Leio assim, errado, um poema atrás do outro. Sem saber direito se captei alguma coisa ou só engoli palavras. Acho que leio assim tudo que é curto. As Cidades Invisíveis de Calvino ou os Exercícios de Estilo de Queneau, arquivos de tirinhas de jornal ou na web: entro num site e leio centenas, uma atrás da outra, me prometendo parar na próxima dezena ou centena fechada, quase como se não estivesse prestando atenção. Enfim, do jeito errado, segundo essa senhora.

Mas...

Tem tirinhas que anos e anos depois eu lembro e vou procurar na Internet. Ou cito uma frase e alguém que também leu há muito tempo reconhece e ri ("Qual o segredo do Morcego?"). Poemas que lembro quase inteiros - apesar de decorar poesia não ter mais muito lugar na nossa cultura literária - ou outros de que me aparece um trecho, paro o que estou fazendo e releio. Descobri que, quando leio um livro de poesia assim, um atrás do outro, não estou exatamente "lendo", mas buscando num catálogo aqueles que vou guardar para depois.

14.7.16

"Nintendinho" ganha um novo sentido

A Nintendo vai lançar uma versão do NES que cabe na palma da mão. Serão trinta jogos na memória, entre eles Final Fantasy, Super Mario 3 e Mega Man 2.

13.7.16

E mesmo assim as pessoas insistem em puxar conversa

People like to stomp around to jams that instantly position them as scrappy and determined underdogs, overcoming tremendous odds. (...) These days, people seem to be perpetually gearing themselves up for the epic battle of merely existing. At the end of the day, jogging up to our front doors, we are all Rocky, reaching the summit, conquering that last step: “Just a man / and his will / to survive!” We rip our headphones off, triumphantly. We did it! Another day closer to death!

Inevitavelmente, Pokémon Go

A caça pelos mostrinhos deu vida a um novo tipo de flaneur - que não está muito interessado em seus arredores.

Eu queria ter umas garrafas em casa

Soylent é um líquido alimentício criado para substituir comida de verdade. Embora existam dúvidas sobre o quanto ele é saudável, ele ḿelhor que a dieta do americano médio.

Departamento de Aquisições

Como nos tempos de Cristo

Não são só cristão brasileiros que têm a crença cretina de que são perseguidos: quase metade dos americanos acredita que a discriminação contra os cristãos existe e é grave. Quase 80% dos evangálicos de lá e 75% dos republicanos são da mesma opnião.

12.7.16

Cinema japonês no YouTube

Um dos três filmes que eu mais gostaria de ter feito, Depois da Vida está disponível no YouTube. (Os outros dois são Encontros e Desencontros e Asas do Desejo.)

7.7.16

Mas nem!

I want to challenge this consensus, but not in the way you might predict. I think that, if we someday create robots with human-like cognitive and emotional capacities, we owe them more moral consideration than we would normally owe to otherwise similar human beings.

Os carros do futuro

Uma das tecnologias mais promissoras que deve chegar ao mercado nos próximos anos é o carro sem motorista. Um dos problemas é que ele tem que resolver o dilema do bonde a cada acidente provável. Na minha opinião, o certo é ele proteger o pedestre às custas do passageiro - afinal é ele que se beneficia, então é justo que ele assuma os riscos.

25.6.16

O que faz de um imóvel um lar?

É para vender móveis é claro, mas a Ikea divulgou os resultados de uma pesquisa que tenta responder o que é um lar nos dias de hoje. O meu já foi o lugar onde uma pessoa em especial estava. Hoje provavelmente é onde estão certos livros.

23.6.16

Uma preciosidade

Em meus vinte anos de Internet, um dos melhores sites que vi foi o Electronic Labyrinth - uma enciclopédia sobre hipertexto. Surpreendentemente, ele ainda está por aí.

22.6.16

Violência no atacado e no varejo

The country’s conservative leader pushed through immediate, sweeping changes to gun laws. Chief among them was a ban and mandatory buyback of more than 600,000 semiautomatic rifles and other long guns, which were then melted down. In all, one researcher estimates, the government ultimately destroyed about a million weapons – roughly one-third of its total gun stock.

That was in Australia, a country that has not had another large-casualty mass shooting since. Officials repeatedly ask: why can’t America do the same?

Aperta direito!

Apertos de mão moles dão a impressão de falta de firmeza. E os jovens de hoje têm um aperto bem mais mole do que há 30 anos.

Departamento de Aquisições

O Futuro da História

Nossa memória coletiva depende de como vamos arquivar a Internet - mas isso é complicado técnica e eticamente.

16.6.16

Um rolê louco

Hoje é Bloomsday, dia em que Leopold Bloom explora Dublin em Ulysses.

Anilina

O medo de substâncias químicas sintéticas é tão sem sentido quanto arraigado na nossa sociedade.

15.6.16

Aforismos: definições e história

.For a word that literally means definition, the aphorism is a rather indefinite genre. It bears a family resemblance to the fragment, the proverb, the maxim, the hypomnema, the epigram, the mantra, the parable, and the prose poem. Coined sometime between the fifth and third centuries BC as the title for one of the books of the Corpus Hippocraticum, the Aphorismi were originally a compendium of the latest medical knowledge.

Dois futuros presentes

Neal Stephenson e David Foster Wallace previram há mais de vinte anos como as coisas seriam hoje - com direito a Donald Trump.

9.6.16

Homens brancos mortos

Deve ser muito irritante se identificar como uma minoria e ter que ler o cânone. Mas ele é o que é: as bases da literatura atual.

À toda à direita

The man who is now the acting President, Michel Temer, moved with alacrity to transmogrify Brazil’s left-of-center government into an unabashedly right-wing one. In doing so, he has made a series of appalling choices.

Só para pesquisa

Matt Fraction sugere livros sobre sexo. Aparentemente a definição dele é mais ampla do que a minha.

3.6.16

Dá a patinha

Ninguém sabe bem quando, onde ou quantas vezes os cachorros foram domesticados. Ou mesmo se eles se domesticaram sozinhos.

A sabedoria da idade

Conforme envelhecemos, nossos cérebros se tornam pior em praticamente tudo. Exceto que eles se tornam mensuravelmente mais sábios. Não que eu ache que compensa.

25.5.16

Press start to start ad

Nos anos 90, a maior regulamentação da publicidade para crianças nos EUA abriu caminho para jogos publicitários. Alguns até prestavam.

24.5.16

Crimes e castigos

Tudo indica que o livre arbítrio não passa de uma ilusão. Não seria hora de abandonar a ideia e, com ela, o punitivismo das leis?

Tartarugas até o fim

David Chalmers fala sobre as possibiidades filosóficas da realidade virtual.

Palavras sem sentido

Do words mean what the dictionary says they mean, or do they gain meaning through the way we use them? Any person without an agenda knows the answer is “both




19.5.16

Sem chifres



Culpa de Wagner e dos Nibelungos

Pobreza gourmet

O empobrecimento da classe média mundial atinge com força os profissionais urbanos empregados: há todo um culto do sucesso que exige que gastem mais do que ganham para manter o preço do ingresso no grupo que dá acesso ao sucesso. Nada de marmitas: cafés especiais, cervejas gourmet, fome do final de semana. A situação é tão distorcida que profissionais já entrando nos 30 vão morar em dormitórios e acham legal.

16.5.16

Secretárias portáteis

Siri, Cortana e outras moças estão prestes a ganhar uma companheira mais fácil de lidar. Finalmente uma assistente com que você pode ter uma conversa inteligente.

Mas a pergunta continua: por que são vozes femininas? Machismo ou medo de HAL?



6.5.16

O modelo dos próximos anos

O Neoliberalismo é a raiz de muitos dos nossos problemas - mas tem seus atrativos para quem já foi de esquerda.


Boas maneiras são importantes em qualquer lugar

Você se sente intimidado e sem graça nos fliperamas? Esse guia de como se comportar nos arcades vai ajudar você.

1.5.16

Os novos punks

Remembering what I was like at fifteen, I wriggle pleasurably at the thought of how it would feel in 2016 to tell a teacher that, no, I couldn’t possibly ‘e-mail’ my homework, because I don’t have e-mail:

‘I’m not on your email, miss/sir.’

‘Don’t be absurd, Stephen. Email me the essay as soon as possible.’

‘I will write it and bring it in to class tomorrow for you to mark. I’ll do that happily.’

Sudden sympathy. ‘Oh. If there’s an issue … if your parents can’t afford broadband or a computer, there are government schemes…’

‘My parents do have the band that is broad of which you speak, miss. They offered me one of the machines that understands the language of the “e-mailings” that so excites you. But I want no part of such elec-trickery.’




29.4.16

O voyeur

Gay Talese se correspondeu por trinta anos com um voyeur que comprou e administrou um hotel só para ver as pessoas fazendo sexo. Muita dedicação das duas partes.

Arrume seu armário como um hd

A maneira como os computadores acessam informações é uma boa inspiração para arrumar seu armário - que provavelmente tem coisas demais.

Arqueologia digital

Eu amo ler sobre - e quando consigo, usar - sistemas operacionais antigos. Hoje eu ouvi falar pela primeira vez do GeoWorks, um ancestral do NewDeal.

Fotos de família

Em 1977, a Nasa lançou as naves Voyager 1 e 2. Cada uma delas levava um disco com imagens da Terra, selecionadas para possíveis olhos de possíveis alienígeanas. (Se tiver tempo, leia mais sobre as Voyager aqui.)

27.4.16

Censura me ofende profundamente

Segundo um pesquisador americano, o "espalhamento de conceitos" é uma possível expicação para a sensibilidade crescente do povo de lá - e outros lugares menos importantes - a ofensas de toda ordem - e dos esforços absurdos para evitá-las, com altos custos para o debate público.

Os donos da liberdade de expressão

Conforme mais e mais notícias circulam e debates acontecem nas redes sociais, sistemas privados de censura e moderação ganham poderes de censura tão grandes quanto de qualquer governo.

26.4.16

O progresso científico deu tilt

Experimentos mal controlados, fatores inconscientes,0 desonestidade estatística e a cor papel de parede são problemas que ameaçam o progresso científico.

24.4.16

"Cinquenta tons"? Jura?

Uma das maiores tristezas da adoção em massa dos livros eletrônicos é a impossibilidade de julgar os leitores pela capa narua.

19.4.16

Omar coming!

Algumas frases inspiradoras de Omar, um dos muitos personagens marcantes de The Wire (a melhor série de tv até agora).

A culpa é dos celulares

Oito habilidades que um jovem de dezoito anos precisa ter, segundo uma reitora universitária. Algo que muitos falham, segundo meu pouco contato com jovens.

15.4.16

Nossos vizinhos alienígenas

A possibilidade de vida com bases químicas totalmente diferentes e difícil de reconhecer coloca interessantes problemas científicos e filosóficos. (Sabia que eu não podia ser o única a pensar nisso.)

Nada de sete para três

Casais em que um dos dois é mais bonito que o outro estão desaparecendo por conta da forma que conhecemos parceiros em potencial: em sites de encontros e aplicativos. E, ao contrário do que pode parecer, as pessoas que aparecem no seu Tinder não são aleatórias.

13.4.16

11.4.16

Problemas de percepção

Mia Couto viveu dezesseia anos de guerra civil em Moçambique. E mesmo assim tem medo da violência em São Paulo.

10.4.16

Quadrinhos mil

Com um certo atraso, a Slate apresenta os indicados ao prêmio de quadrinhos da revista. Muitos gibis de que nunca ouvi falar e um monte de quadrinhos on line para você se perder. Os vencedores de melhor hq impressa e melhor on line já saíram, aliás.

4.4.16

RV: A tortura do futuro

Depois de anos considerada uma tecnologia fracassada, as possibilidades da Realidade Virtual voltaram à pauta com o lançamento do Oculus Rift e outros equipamentos. A tortura é uma das possibilidades da RV.